home ›› Notícias ›› [Clipping] Dupla de sucesso

Notícias

[Clipping] Dupla de sucesso

01/02/2017

[Clipping] Dupla de sucesso

Nem a histórica rivalidade no futebol brasileiro, como o charmoso Fla—Flu, foi capaz de separar dois amigos com o único objetivo: lançar um selo editorial.

Fundada em 2008, pelos jornalistas Paschoal Ambrósio Filho de 58 anos e Roberto Sander da mesma idade, a Maquinária Editora ganhou vida após a dupla perceber que a literatura esportiva poderia ser mais que um prazer e se transformar em trabalho:”A ideia surgiu quando o Sander, que já escrevia livros para outras editoras, me chamou para editar nossos próprios livros, em alguns encontros na ABI (Associação Brasileira de Imprensa). Foi assim que nasceu a Maquinária”, diz o rubro—negro Paschoal que começou sua vida jornalística como repórter policial no jornal Luta Democrática, há 39 anos.

Antigos companheiros de redação (trabalharam juntos no Sportv), a dupla driblou a insegurança, se desmarcou da ansiedade e numa jogada de craque, fez um gol de placa, quando resolveram enveredar pela literatura esportiva, em um nicho pouco e mal explorado, pois a maioria dos livros não tinha qualidade gráfica e a pesquisa, muitas vezes, era falha.
Com isso, a dupla fez sua estreia lançando o primeiro livro escrito à quatro mãos, intitulado ‘Os 10 mais do Flamengo’, em 2008 e que acabou se tornando um sucesso que, segundo o tricolor Roberto Sander, deu visibilidade à Maquinária ao vender muitos livros com tal coletânea (seleção biográfica dos dez maiores jogadores de cada clube no Brasil):”O fato do Paschoal ter uma empresa de comunicação foi importante, pois uniu à minha experiência nos livros que eu havia publicado. E aí, surgiu essa coletânea que tivemos o privilégio de escrever, que percorreu os grandes clubes do país, e nos alavancou com o grande sucesso de vendas que foi”, assegura dizendo que hoje a empresa tem uma posição de solidez no mercado editorial.

Apesar da grave crise que tem atingido vários segmentos da sociedade e mudado o hábito de uma grande parcela de leitores, a Maquinária Editora se mantém com a venda de bons livros produzidos pelo próprio selo:”A gente tem evitado lançar coisas novas e vamos vivendo de livros antigos que são bons com conteúdo e validade indeterminada, pois os temas são interessantes”, frisa Paschoal acrescentando que mesmo com uma queda de 40% nas vendas, a Maquinária Editora se orgulha de ter uma administração enxuta.

19/12/2016
FONTE: Jornal A Metrópole (Niterói)

Estamos no Facebook